(11) 3024-3100

ISCO - Oxidação Química “in situ”

ISCO (Oxidação química in situ) é uma tecnologia baseada na injeção de oxidantes químicos em meios contaminados (água subterrânea e solo), com o objetivo de destruir o contaminante através de reações químicas e converter a sua massa em compostos inertes encontrados na natureza. Os oxidantes usualmente aplicados neste processo são: peróxido de hidrogênio (H 2 O 2 ), permanganato de potássio (KMnO 4 ), ozônio (O 3 ) e em menor escala o oxigênio dissolvido (OD).

As aplicações mais comuns deste processo vêm sendo baseadas no Reagente de Fenton, onde o peróxido de hidrogênio é aplicado junto a um catalizador, o ferro (Fe), gerando radicais hidroxilas livres que oxidam os compostos orgânicos presentes no meio. O peróxido de hidrogênio residual decompõe-se em água e oxigênio, e o ferro sofre precipitação. Abaixo é apresentada a equação representativa da oxidação química gerada pelo Reagente de Fenton.

Fe 2+ + H 2 O 2 --> Fe 3+ + OH - + OH

A oxidação in situ é muito empregada na remediação de solo e água subterrânea. Ela pode ser aplicada a diversos tipos e granulometria de solos (silte e argiloso) no tratamento de compostos orgânicos voláteis (VOCs), incluindo dicloroeteno (DCE), tricloroetileno (TCE), tetracloroetileno (PCE), benzeno, tolueno, etilbenzeno e xilenos, assim como os compostos orgânicos semi-voláteis (SVOCs) tais como os pesticidas, hidrocarbonetos policíclicos aromáticos ( HPAs) e os bifenilas policloradas (PCB´s).

Retornar a lista de técnicas de Remediação Ambiental

Veja também

Solicite uma proposta